Pulgas em cães – como resolver este problema?

Pulgas em cães é algo muito comum, mas que causa grande desconforto ao seu pet. Além disso, pode evoluir para problemas mais sérios, como verminoses, alergias, queda de pelo e anemia.

Para ajudá-lo a proteger a saúde do seu cãozinho, vamos apresentar as principais informações sobre o parasita. Aqui no texto, falaremos sobre o ciclo de vida da pulga e seu processo de infestação. Venha com a gente!

Pulgas em cães: entenda o problema

Existem pulgas de várias espécies, e elas podem atacar roedores, gatos, cães e até o ser humano. O tipo mais comum do parasita, no entanto, é a Ctenocephalides felis. Estudos indicam que esta deve ter chegado ao Brasil ainda no século XVI, trazida pelos colonizadores.

Na verdade, existem registros pré-históricos de animais que podem ser considerados descendentes das pulgas há mais de 60 milhões de anos. Ou seja, esse animal vem causando problemas há bastante tempo.

Quando entra em contato com o cachorro, a pulga se movimenta rapidamente e realiza várias picadas no mesmo. Isso gera coceira intensa, deixando o pet estressado, além de ocasionar alergia.

O momento da infestação

Seu cachorro pode contrair o parasita durante um passeio ou mesmo dentro de casa. Na rua, o problema chega quando o pet entra em contato com um animal infectado ou passa por um local que já apresenta a infestação.

Dentro de casa, as pulgas podem se esconder em assoalhos, frestas de portas, sofás, tapetes etc. O que ocorre é que os ovos desses organismos são invisíveis a olho nu. Então, mesmo que você ache que um ambiente está limpo, ele pode estar contaminado.

Em média, uma pulga adulta consegue colocar 40 ovos por dia, que eclodem em larvas e, posteriormente, viram pupas (um tipo de casulo). Quando estão nesta última fase, são extremamente resistentes, conseguindo se proteger da água, de produtos de limpeza e até de dedetizações.

Depois que a pupa eclode é que surgem as pulgas adultas, que conseguimos ver no pet. Elas saltam até 300 vezes o tamanho do próprio corpo e são responsáveis por 5% da infestação. Isso quer dizer que tratar o animal é apenas uma parte do processo.

Na verdade, você também precisa cuidar do ambiente onde o cachorro passa, removendo as larvas, os ovos e as pupas. Apenas assim, é possível evitar uma nova infestação.

O sintomas e as complicações

Como comentamos, as pulgas são parasitas que picam bastante. Cada picada gera uma reação orgânica que provoca coceira, e essa sensação pode se espalhar pelo corpo todo.

Depois de um tempo, o cãozinho começa a ficar estressado e pode desenvolver uma alergia cutânea. Fora isso, os pelos podem cair bastante.

Outra complicação é o aparecimento da anemia. Afinal de contas, cerca de 70 pulgas chegam a sugar 1ml de sangue por dia. Como uma infestação pode chegar a centenas de parasitas, o resultado acaba sendo muito mais prejudicial.

Além dos problemas apresentados, é possível que o pet engula algumas das pulgas enquanto está se coçando. A questão é que elas podem estar infectadas pelo verme Dipylidium caninum, já que são hospedeiras intermediárias deste.

Caso isso ocorra, o pet pode desenvolver um tipo de solitária e ter a saúde cada vez mais fragilizada.

Pulga em cães: o tratamento do problema

Depois de tudo o que explicamos, fica claro que o problema das pulgas em cães necessita de atenção do tutores. Sendo assim, caso note que seu animal está com o parasita, procure um veterinário. Este indicará o tipo de tratamento mais indicado para cada situação.

Hoje, existem diversas opções disponíveis no mercado. Entre elas estão xampus, coleiras, talcos, comprimidos, pipetas para aplicar na pele, sabonetes, sprays etc.

Evite usar remédios caseiros, pois podem não resolver a situação e ainda prejudicar de outras maneiras a saúde do seu animal.

E então, o que você achou do nosso texto sobre pulgas em cães? Se tiver gostado, compartilhe o post nas redes sociais!

Recomendado para você

Sobre o autor: Bárbara Valdez

Redatora por paixão e profissão. Gosta de gente, mas prefere os livros. Suas qualidades: adora gatos e é viciada em filmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *