Bola de pelo em gatos é normal?

Tutores de primeira viagem podem ficar espantados quando isso ocorre. Afinal de contas, ver seu bichinho vomitando uma substância estranha gera um certo desespero, não é mesmo? Porém, depois que descobrem que a situação corresponde apenas a uma bola de pelo, eles ficam mais calmos.

Contudo, será que essa eliminação é assim tão natural? Apesar de bastante comum, ela pode gerar alguns problemas quando não observada com atenção.

Sendo assim, venha com a gente saber os principais detalhes sobre o assunto. Desse modo, ficará mais fácil garantir a saúde dos felinos.

Como se forma a bola de pelo em gatos?

Apesar de não serem muito chegados em água, os gatos são animais que adoram estar limpos. Sendo assim, eles tomam banho quase que diariamente, porém fazem isso usando a própria língua. Por isso, esta é bastante áspera, removendo pelos soltos e poeira.

Contudo, durante esse processo de higienização, muito da pelagem acaba sendo ingerida e vai parar no estômago. Assim, são formadas as bolas, conhecidas pelo nome científico tricobezoar.

Isso ocorre ainda mais em gatos de raças específicas, como persa (saiba mais sobre ele aqui), angorá, ragdoll, entre outras.

Quando ela deve ser eliminada?

De maneira regular, os pelos são eliminados gradualmente junto com as fezes. Porém, em épocas que envolvem troca de pelagem ou em raças mais felpudas (como as citadas anteriormente), as bolas tendem a ser expelidas oralmente.

O motivo é que o acúmulo de filamentos é maior, e o intestino não consegue processar tudo isso. Assim, o “vômito” pode ocorre até uma vez por semana, sendo algo normal e que não deve gerar preocupações.

Por que a bola de pelo pode se transformar em um problema?

Em alguns casos, as bolas de pelo formadas no estômago não conseguem ser eliminadas pelo gato. Aí surge um grande problema. Afinal de contas, essa pelagem ingerida acaba presa no intestino, impedindo o funcionamento regular do organismo.

Sendo assim, o seu pet pode apresentar:

  • desconforto abdominal;
  • vômitos;
  • diarreia ou prisão de ventre;
  • falta de apetite;
  • apatia.

Ao observar esses sinais, é necessário levar o gato ao veterinário. No consultório, o profissional fará exames específicos para identificar o problema.

Dependendo do caso, pode ser prescrita uma alimentação especial, algum remédio para ajudar na digestão e, em último caso, uma cirurgia. Nesta, o médico consegue remover a bola que ficou presa no organismo.

O que fazer para evitar complicações?

Para tratar o problema envolvendo as bolas de pelo, a presença do veterinário é essencial. Porém, você pode agir diariamente para evitar que essa situação se torne prejudicial.

Desse modo, vale a pena investir em rações de boa qualidade, que ajudem no processo digestivo. Petiscos com a função de diminuir a formação do tricobezoar também são muito úteis.

Além disso, escove seu gato regularmente, ainda mais se ele tiver pelo longo. Para tanto, crie o hábito no pet desde filhote, assim o mesmo não ficará arisco na hora da atividade.

Incentivar brincadeiras é outra ação importante. Afinal de contas, o exercício físico ajuda no funcionamento intestinal.

Por fim, não descuide da hidratação do felino. Isso facilita a absorção de nutrientes, ajuda a deixar as fezes menos ressecadas e contribui para todo o processo de digestão.

Depois de tudo o que explicamos, temos certeza que você estará mais atento às bolas de pelo que seu gato expele, não é mesmo? Apesar de esse ser um processo natural, ele pode gerar complicações para o pet.

Sendo assim, fique atento à saúde do animal, leve-o regularmente ao veterinário e siga as dicas mostradas aqui no post.

Tem mais alguma dúvida sobre bola de pelo em gatos? Escreva nos comentários que vamos respondê-lo!

Recomendado para você

Sobre o autor: Bárbara Valdez

Redatora por paixão e profissão. Gosta de gente, mas prefere os livros. Suas qualidades: adora gatos e é viciada em filmes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *